Ontem, vovô morreu...

 

Todo mundo chorou sem parar...

 

Até eu!

 

 

 

Mas anteontem ele me explicou

 

que isso estava para acontecer,

 

e que eu não deveria chorar...

 

 

 

Porque ele estava cansado;

 

era dor pra todo lado!

 

Não tinha nenhum prazer...

 

Mas a vida já havia lhe dado

 

muito mais do que desejou, -

 

inclusive a sinceridade,

 

a delicadeza do meu amor...

 

 

 

Foi o que ele me falou!

 

 

 

E morrer de velhice, meu neto,


decerto é uma grande proeza.

 

Morrer de velhice, ainda disse,

 

é respeitar a lei da natureza.

 


 

Mesmo assim eu fiquei triste...

 

 

 

Quando plantaram vovô

 

(sabia que plantam gente?)

 

todo mundo chorou tanto...

 

 

 

Acho até que o vovô já brotou!

 

 

 

Ao dormir, sonhei com ele.

 

Posso vê-lo quando fecho os olhos;

 

ouvi-lo, quando lembro as histórias

 

que, com ternura, me contou.

 

 

 

 É muito vivo esse meu avô!...

 

 

jr

 

imagem: lápis seco e lápis aquarelável.

 

 

Texto protegido pela lei de Direitos Autorais.